Assim como a água reflete o rosto, o coração reflete quem somos nós.
Provérbios 27:19.   (via sutilizar-se)
Por que você fuma tão depressa?”, perguntei.
Ela me olhou e abriu um sorriso largo, e um sorriso assim tão largo em seu rosto estreito talvez lhe desse um ar meio tolo, não fosse a inquestionável elegância de seus olhos verdes. Ela sorriu com todo um encantamento de uma criança na noite de Natal e disse: “Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer.
Quem é você, Alasca?     (via auroriar)
Cuide bem do seu jardim, que uma hora ou outra, você terá uma visita.
Eu sou uma borboleta.  (via reatou-se)
Olhos fechados, pra te encontrar
Não estou ao seu lado, mas posso sonhar.
Os Paralamas do Sucesso. (via sutilizar-se)
Um dia, perguntei para o psiquiatra: sou bipolar? Ele me disse: de bipolar você não tem nada. Você é sincera e tem sentimentos intensos. E me explicou a origem da palavra sincera, que vem do latim e significa “sem cera”. Antigamente, carpinteiros e escultores usavam cera para disfarçar os defeitinhos de esculturas e móveis de madeira. Então, eles lixavam, passavam verniz e tudo ficava aparentemente perfeito e em ordem. O aspecto das peças era magnífico. Com o passar do tempo, do frio, calor e uso, a cera ia se desmanchando e os defeitos iam ganhando vida. Sinceridade é “sem cera”, ou seja, sem máscaras, sem retoques, sem querer ser o que não é. Achei bonita a explicação dele. E triste.
Clarissa Corrêa. (via
Que os dias felizes sejam mais longos.
Clarice Lispector. (via opostos)